21 de Setembro de 1961 – 15h 35m

Nasci

Para começar, parece que foi fácil, nasci “sozinho” com a minha mãe. Eu, explico; A minha mãe sentido que o parto estava iminente, pediu ao meu pai para ir buscar o médico. O meu pai lá foi numa bicicleta a pedal, mas no caminho foi mandado parar pela GNR. Claro que o atrasaram…. mas la continuou. Quando o médico chegou a casa já eu estava a chorar por estar de volta a este mundo. (rir) Ora tudo isto aconteceu exatamente em Vendas Novas, nos Foros dos Infantes, na quinta do Felizardo (creio que a casa já não existe) ao lado havia um moinho de vento.

1965

1965-1968

Permaneci em Vendas Novas até aos 4 anos. Em 1965, por motivos profissionais dos meus pais, vou viver para o Montijo, para o antigo bairro do Areias. Dois anos depois, mudamo-nos para Montemor-o-Novo, mas a casa era pequena demais e como não tinha quarto, os meus pais decidiram “enviar-me” para Bombel, onde residiam os meus avós. E é aqui que inicio os estudos na instrução primária. Em 1968, os meus pais encontraram uma casa maior e voltei a viver com eles, desta vez em Montemor

1967

Ingresso na 2° Classe (com o Prof. Rufino),……e fiz a 4° Classe. Estávamos nessa altura em Junho de 1971.

A minha juventude como eu digo, começou com uma data triste que foi o falecimento do meu irmão mais velho, a 21-05-1973. Como fã que eu era dele, passei um pouco mal, e estou-vos a falar dos meus 11 anos de idade. Fatores que marcam uma personalidade.

Fiz o Ciclo Preparatório e ingressei no curso geral de mecânica no ano 75/76 quando chegou o final do 2° periodo, desisti.

Guardei porcos durante 2 dias, fui ajudante de mecânico em motorizadas durante 6 meses, entretanto lá convenci a minha mãe a voltar a estudar, e ela aceitou com um grande sorriso que ainda agora me lembro.

1976/77

Voltei á escola, fiz o ano sem negativas nenhumas, nem em “pontos” nem em fins de períodos. Assim se passou o 7° ano de escolaridade.

No 8° ano, 77/78. as coisas passaram-se de maneira diferente, a 11 de novembro o meu pai tem um grave acidente de viação e a 16 de novembro a minha mãe deu à luz o meu irmão mais novo.

Ora eu, senti-me um pouco sozinho, pois passei dias em casa só, por outro lado quando saía, chegava a casa as 8 da manhã e é claro não ia a escola.

A minha mãe voltou a casa com o bebé, mas com o coração nas mãos, pois o meu pai viria a passar 54 dias de coma, acomodei-me um pouco e ajudei a tomar conta do meu irmão, enquanto a minha mãe tratava de documentos para construir casa em Bombel. Com tudo isto, 15 dias antes da Páscoa, tinha chumbado o ano por faltas. Cabecinha pensadora que sempre fui, sabia que se pedisse transferência de escola antes da Páscoa, me retirariam as faltas em excesso. Assim fiz, em Abril de 1978 encontro-me a estudar nos “Antigos Salesianos” em Vendas Novas. Novas amizades, alguns já conhecidos derivado ao facto de eu ser da terra, e, consegui passar esse ano. 78/79 Voltei a estudar em Montemor onde fiz o 9°ano (por curiosidade nesse ano já morava em Bombel, pois a minha mãezinha tinha conseguido vender a casa em Montemor e com esse dinheiro construiu no terreno familiar.

Entre 1979 e 1983 tive uma vida de saltimbanco, quer dizer, ou estava a passear na Europa (á boleia claro) Ou em Portugal a carregar madeira da Herdade do Espirra para a Portucel. Em 1982, vivi 7 meses em Genébra onde fui ajudante de pasteleiro no famoso Hotel Penta, mas como não gostei voltei a base.

Com tudo isto a minha mãezinha mais uma vez me ofereceu uma enxada, ou seja, pagou-me a carta profissional de pesados com reboque. Ora assim que me apanhei com a carta de pesados, fui logo trabalhar para a empresa Izidoro no Montijo, que na altura tinha a fábrica das carnes e a fábrica das rações.

Rua Fernando Palha

Lisboa

No fim do contrato dei o meu maior salto, fui para os transportes Pedrosa na rua Fernanda Palha em Lisboa estávamos em 1985. Comecei por fazer o serviço da Quimigal do Barreiro que consistia em carregar adubos para o Algarve. Todos os dias me passavam 500 sacos de 50Kg pelas mãos ao todo 25 toneladas. Fiz este serviço durante 8 meses ao fim dos quais a empresa me transferiu para o Internacional tendo-me sido atribuída uma velha DAF 2800.

Hoje é a Rodocargo situada na Vala do Carregado.

Casei-me a primeira vez em dezembro de 1986 e em 1988 nasceu o meu filho.

Em 1989 separei-me da esposa e deixei os Transportes Pedrosa por ofertas mais aliciantes para uma nova vida, mas as quais não foram cumpridas.

Com tudo isso no fim de 1989 encontro-me trabalhando como chefe de tráfego na empresa M. F. Duarte, mas, por minha ordem (o chefe era eu) voltei á estrada 4 meses depois. Ao fim de um ano despedi-me por falta de confiança no futuro da empresa.

Ém 1990 entrei no “Stand Robalo” empresa de transporte de automoveis. A chefe de trafego interessou-se por mim e quando dei por mim, vivia com ela.

Uma das boas recordações foi a de carregar autos antigos em Monte Carlo, lembro-me de ter carregado um Bugati type 35 sendo o seu seguro de 1 milhão de dólares.

Nos finais de 1993 o Stand Robalo entrou em falência, como eu vivia com a chefe de trafego, mais uma vez fiquei sem casa nem trabalho. cool

Na primavera de 1994, como estava desempregado e tinha uma carrinha, fui vender caracois de taberna em taberna.

O verão foi feito no sul da França a apanhar fruta e no regresso fiz toda a costa desde Sete em França, todo o sul de Espanha entrei em Vila Real de st Antonio e algarve, Sagres, continuei toda a costa vincentina até à Comporta.

No outono de 1994, a minha ex veio de férias (ela emigrou para a suiça depois do divórcio) e convidou-me a juntar os trapinhos outra vez.

E, eu aceitei…

Viajei para a Suiça a

14 de Dezembro de 1994